Ser mãe é um desejo de muitas mulheres. Algumas sonham desde a infância, outras começam a despertar esse desejo só depois da vida adulta. E claro, existem aquelas mulheres que não tem a mínima vontade de experienciar a maternidade. E tudo certo.

Para aquelas que querem ser mãe, gerar um filho e dar à luz uma nova vida é uma das emoções mais intensas que alguém pode viver na vida. Gravidez é o período de crescimento e desenvolvimento de um ou mais embriões no interior do útero da mulher. Para que ocorra a gravidez, é necessário que o óvulo, gameta feminino, seja fecundado pelo espermatozoide, e disso todos já estão cansados de saber.

Durante as primeiras semanas após a fecundação, a mãe ainda não sente os efeitos da gravidez, mas isso não quer dizer que o bebê não esteja se desenvolvendo, muito pelo contrário, ele continua crescendo a cada segundo.

A data provável para um bebê nascer, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, é 40 semanas depois do primeiro dia da última menstruação. Um bebê que nasce de 37 semanas é considerado prematuro, após a 42º semana, pós-termo. Nos dois casos, os riscos de complicações aumentam muito.

Publicidade
continue a leitura

Atualmente é normal que as mulheres agendem a data e o horário que querem fazer seu parto. E a maioria das mulheres tendem a preferir fazer um parto cesária. Normalmente eles costumam ser mais comuns durante o dia. Mas em outros tempos, onde os partos não eram agendados, os bebês eram mais propensos a nascer, de forma espontânea, à noite.

Basta perguntar para algumas pessoas próximas mais velhas que horas elas nasceram. E você vai reparar que a maioria vai dizer que foi à noite, ou então ao amanhecer. Isso não é uma coincidência. Isso porque o parto humano natural é predominantemente noturno, assim como o dos primatas.

Motivo

Publicidade
continue a leitura

Um estudo foi feito a respeito do horário de nascimento humano e foi analisado pelos pesquisadores da Universidade Autônoma de Madri. Esse estudo teve como base 4.599 partos que aconteceram entre 1887 e 1892.

O período de tempo escolhido foi esse porque, nessa época, os partos não eram programados como são hoje em dia. Os resultados foram quase unânimes. Os bebês nasceram principalmente à noite.

Os pesquisadores descobriram que existia uma padrão de nascimento, principalmente durante as primeiras horas da manhã. Os números de partos iam diminuindo do meio-dia para o começo da  noite.

Publicidade
continue a leitura

Outro fator analisado foi a diferença entre inverno e verão. No inverno a concentração de nascimentos durante o começo da manhã é maior. Já no verão, a concentração máxima acontece entre as 20 e 12 horas. O que pode explicar isso é a luminosidade. Já que o sol nasce mais tarde no inverno ajudando a ter mais partos no começo da manhã.

Os primatas tem esse padrão de nascimento à noite porque isso evita que predadores vejam o parto. Além de permitir que a mãe e seu filho sejam protegidos pelo resto do grupo à noite. O mesmo padrão é visto nos humanos. Até porque nós também pertencemos à mesma família de hominídeos.

Publicado em: 15/09/20 14h42