A humanidade ainda tem muito o que descobrir sobre nosso planeta. Apesar do homem já ter pisado na lua e de já estar planejando expedições tripuladas para Marte, a Terra ainda possui mistérios que ainda precisam e irão ser solucionados e compreendidos pelos cientistas.

Nosso planeta é coberto 70% por água, que é fundamental para a vida na Terra. Mas a forma que ela chegou em nosso planeta é debatida por muito tempo. Essa pergunta pareceu estar mai perto de ser respondida quando uma equipe francesa disse que identificou quais rochas espaciais foram responsáveis. E sugeriu que a Terra tem água desde que ela se formou.

A líder da pesquisa, a cosmoquímica Laurette Piani, disse que as descobertas contradizem a teoria que é mais aceita atualmente que diz que a água foi trazida para a Terra, que inicialmente era seca, por cometas ou asteroides.

Segundo os primeiros modelos de como o sistema solar veio a existir, os grandes discos de gás e poeira que giravam ao redor do sol, que em algum momento se transformaram nos planetas, eram quentes demais para terem gelo.

Publicidade
continue a leitura

Essa hipótese explicaria as condições de planetas como Mercúrio, Vênus e Marte. Mas não a Terra. Então, os cientistas teorizaram que a água do nosso planeta tinha vindo depois. E os principais suspeitos de terem trazido ela foram os meteoritos conhecidos como condritos carbonáceos, que são ricos em minerais hídricos.

O problema é que a composição química deles não é muito parecida com a das rochas da Terra. E isso faz com que seja menos provável que eles tenham atingido a Terra antigamente.

Origem

Publicidade
continue a leitura

Mas outro grupo de meteoritos chamados condritos enstatitas tem uma combinação química muito mais próxima. Eles tem isótopos parecidos de oxigênio, titânio e cálcio. Isso indica que eles eram os blocos de construção da Terra e de outros planetas.

Mas como essas rochas se formaram perto do sol foi considerado que elas eram bem secas para terem sido responsáveis pelos reservatórios de água da Terra. E para testar se isso era verdade, Piani e sua equipe do Centro de Recherches Petrographiques et Geochimiques (CRPG, CNRS) usaram uma técnica chamada espectrometria de massa para medir o conteúdo de hidrogênio em 13 condritos enstatitas.

A equipe descobriu que elas tinham hidrogênio suficiente para dar à Terra, pelo menos, três vezes a massa de água dos nossos oceanos e, possivelmente, muito mais.

"Descobrimos que a composição isotópica do hidrogênio dos condritos enstatitas é semelhante à da água armazenada no manto terrestre", disse Piani,

Publicidade
continue a leitura

E a composição isotópica dos oceanos foi considerada consistente com uma mistura de  95% de água dos condritos enstatitas. Isso  é mais uma prova de que eles eram responsáveis pela maior parte da água da Terra.

Os pesquisadores também descobriram que os isótopos de nitrogênio dos condritos são parecidos com os da Terra. Com isso, eles propuseram que essas rochas também poderia ser a fonte do componente mais abundante em nossa atmosfera.

Contudo, Piani disse que sua descoberta não excluiu a possibilidade de adição posterior de água vinda de outras fontes. Como por exemplo, cometas. Mas indica que os condritos enstatitas tiveram uma contribuição significativa para o tanto de água que a Terra tem logo no momento em que se formou.

Publicado em: 01/09/20 18h52