Terra é o terceiro planeta mais próximo do sol. Ele também é o quinto maior do sistema solar. Em seus mais de 4,5 bilhões de anos de existência, muitas mudanças aconteceram e o planeta já passou por várias coisas.

Há 160 milhões de anos, os dinossauros reinavam em nosso planeta. Até que um enorme meteoro se chocou com a Terra. O impacto foi tão fulminante, que suas consequências mudaram o destino do planeta. Essa catástrofe de níveis absurdos varreu quase toda vida do planeta. Em outras palavras, por muito pouco, nem nós estaríamos aqui.

Quase todas as pessoas sabem desse impacto cósmico, que dizimou os dinossauros. Mas agora, pela primeira vez, pesquisadores documentaram os efeitos diretos de um cometa, fragmentado em um assentamento humano. Ele era o sítio arqueológico, Abu Hureyra, no norte da Síria, onde nômades antigos começaram a se estabelecer, há 12 mil anos.

Esses fragmentos fazem parte de um impacto cósmico que explodiu na atmosfera do planeta, no fim do período Pleistoceno. Esse impacto, provavelmente, também ajudou na extinção de vários animais grandes, como por exemplo mamutes, cavalos e camelos. E também contribuiu para  a cultura Clovis da América do Norte desaparecer.

Depois desse impacto aconteceu o começo de um breve período de clima frio, o Drays recente, que aconteceu há 12.700 a 11.500 anos.

Descoberta

Publicidade
continue a leitura

Esse assentamento foi estudado pelos arqueólogos, antes de uma barragem ser construída no rio Eufrates na década de 1970. Eles coletaram e descreveram diversos materiais antigos. Alguns deles como  parte de casas, alimentos e ferramentas.

Com essas evidências, os cientistas conseguiram identificar no sítio uma transição do nomadismo para a agricultura há aproximadamente 12.800 anos. Esse foi um dos eventos mais significativos da história cultural e ambiental da Terra.

Em Abu Hureyra os pesquisadores encontraram cereais, ossos de animais e materiais de construção. Além disso, eles também acharam vidro derretido que foi formado em temperaturas extremamente altas. Tão altas que seriam inalcançáveis pelos humanos daquela época.

Então, os cientistas analisaram a composição geoquímica, o formato, estrutura, temperatura de formação, características magnéticas e o conteúdo desse vidro.

O que eles viram nas análises é que o vidro tinha minerais ricos em cromo, ferro, níquel, sulfetos e titânio. Também tinha platina e ferro derretido rico em irídio. Todos esses minerais foram formados em temperaturas maiores do que 2.200º Celcius.

“Para colocar em perspectiva, temperaturas tão altas derreteriam completamente um automóvel em menos de um minuto”, disse James Kennett, professor de geologia da Universidade da Califórnia, em Santa Barbara.

Publicidade
continue a leitura

Essa intensidade da temperatura só poderia ter sido atingida com um fenômeno extremamente violento de uma alta energia e velocidade, que seria da ordem de um impacto cósmico.

Impacto

De acordo com o professor, os materiais que foram encontrados nas amostras são bastante raros sob temperaturas normais. Mas eles são bastante encontrados nos eventos de impacto cósmico.

E eles também são parecidos com o material que é encontrado em outros lugares do mundo, que também foram atingidos por fragmentos do cometa.

O sítio de Abu Hureyra fica em um lugar, conhecido como “campo de dispersão da Hipótese do Impacto do Dryas Recente (IDR)”. Ao todo, sua área engloba 30 outros lugares na América, Europa e Oriente Médio.

Nele, existem evidências de um impacto cósmico como por exemplo, altas concentrações de platina e pequenas esférulas metálicas, que são formadas apenas com temperaturas muito altas.

Publicidade
continue a leitura

Essa hipótese fica cada vez mais aceita por novas descobertas. Como uma cratera sob a geleira Hiawatha, na Groelândia, e o vidro derretido por alta temperatura, achado no sítio de Pilauco, no sul do Chile.

Destruição

Segundo os cientistas, esse achado é uma evidência direta de um desastre em um assentamento humano muito antigo. Esse impacto deve ter acontecido bem perto do assentamento para o vidro ter se formado sob a vila inteira.

“A vila de Abu Hureyra teria sido destruída abruptamente. Um único grande impacto de asteroide não teria causado materiais tão dispersos, como os descobertos, em Abu Hureyra. Nossas descobertas em Abu Hureyra, apoiam fortemente um grande evento de impacto de um cometa fragmentado", conclui.

Publicado em: 09/03/20 18h28