Conforme aprendemos sobre nossa história evolutiva, podemos descobrir coisas um tanto quanto surpreendentes. Por exemplo, segundo um estudo recente, Homo sapiens e neandertais faziam amor na Eurásia.

Dessa forma, um novo estudo encontrou, mais uma vez, evidências de que, há muito, mas muito tempo mesmo, nossos ancestrais tinham o hábito de se misturar com os neandertais. Contudo, isso não uma, nem duas vezes, mas sim, uma série de vezes e em locais diferentes.

Eles eram mais próximos do que imaginávamos

Publicidade
continue a leitura

À medida que nossos ancestrais saíam da África, Europa e da Ásia, parece que eles sem querer, teceram traços de outras espécies humanas em nosso genoma moderno. Assim, ao analisar o DNA de centenas de pessoas com ascendência eurasiana, os pesquisadores descobriram material genético ligado aos neandertais nas montanhas Altai, região da atual Sibéria.

Para se ter uma ideia, essa era uma linhagem completamente diferente da população croata de neandertais identificada em pesquisas genômicas anteriores. "Não é uma introgressão única de material genético dos neandertais", afirmou o biólogo Omer Gokcumen, da Universidade de Buffalo. "É uma espécie teia de aranha de interações que aconteceram repetidas vezes, onde diferentes hominídeos antigos interagiram entre si". Contudo, somente em pesquisas mais recentes, pudemos notar o quanto de nossa história evolutiva envolve sexo entre espécies.

Por meio de vovas descobertas arqueológicas e pesquisas genômicas modernas, descobrimos que, em vez de simplesmente substituir outras espécies concorrentes, como outras espécies fizeram, o Homo sapiens se cruzavam com eles. Porém, isso não é necessariamente algo ruim. Pelo contrário, há evidências que sugerem que nosso DNA neandertal ajuda a nos proteger de epidemias virais. Entretanto, entendemos que isso possa lhe trazer uma sensação estranhamente reconfortante.

Publicidade
continue a leitura

Temos um pouco dos neandertais em nossos genes

Atualmente, a maioria dos humanos modernos ainda tem um pouco de neandertal escondido em seus genes, mesmo aqueles que vêm do epicentro da humanidade. No entanto, somente neste ano, um novo método para analisar nossos genomas revelou que as populações africanas modernas também contêm uma herança mista em seu genoma. Antes, acreditávamos que esses povos eram livres de neandertais em seu DNA.

Ao longo de anos, pensamos que essa pequena dose de DNA estava ligada a um breve encontro entre nossa espécie e outra. Essa quantia geralmente gira em torno de 2%. Contudo, evidências mostram que esse cenário é muito meno provável. Assim, não foi somente um encontro, mas uma longa "história de amor".

Publicidade
continue a leitura

Nesse caso, a pesquisa não isolou apenas variantes em um único nível de nucleotídeo compartilhado entre nós e os neandertais. Mas também, relevou uma grande exclusão de informações genéticas compartilhadas com ambas as linhagens neandertais. Essa se mostrou como uma variante que nunca foi encontrada antes.

Por fim, os autores concluem que a linhagem neandertal de Altai "representa uma linhagem ancestral amostrada apenas na Ásia. Desse modo, a outra linhagem "substituiu a linhagem ancestral dos neandertais na Europa, datando de cerca de 50.000 anos atrás". Juntos, esses resultados sugerem que, em um passado distante, ancestrais dos asiáticos orientais e europeus ocidentais se misturaram com diferentes linhagens neandertais em várias ocasiões. Assim, isso aconteceu enquanto eles se espalhavam pela África.

Publicado em: 17/04/20 00h30