A importância da Igreja Católica na história da humanidade é inegável. Milhões são os seus fiéis, espalhados por todo o globo. Cerca de 17,5% da população mundial segue a doutrina. Mesmo depois de quase 2 mil anos, a Igreja Católica é a maior entre todas as igrejas cristãs. A maior autoridade dentro de sua hierarquia é o Bispo de Roma, ou como é mais conhecido, o Papa.

Os fiéis católicos estão acostumados há anos, com as rezas que são ensinadas. Mas agora, terão que reaprender uma das principais rezas, aquela que é referida como "a oração que Ele nos ensinou", o próprio Pai Nosso.

Essa mudança não é grande, é apenas uma frase. Mas como é uma das principais e mais conhecidas orações do catolicismo, a mínima mudança que seja já ganha uma grande relevância.

No dia 29 de novembro, será celebrado o primeiro domingo do Advento. E nele, uma nova edição do Missal Romano, que reúne todas as orações que os padres fazem durante a missa, chegará em todas as paroquias italianas.

Alteração

Essa será a terceira edição do livro, em italiano. E nela, o Pai Nosso sofrerá a mudança no trecho, que em português é "não deixeis cair em tentação". Atualmente, esse trecho em italiano é "non ci indurre in tentazione", que poderia ser traduzido como "não nos induzais à tentação".

Publicidade
continue a leitura

Com a mudança, o trecho passará a ser "non abbandonarci alla tentazione", que seria "não nos abandoneis à tentação". Mesmo com essa alteração na versão italiana da reza, ela não será alterada em outros idiomas.

Além do Pai Nosso, o hino Glória também sofrerá alterações, na sua versão italiana. O trecho que diz "paz na Terra aos homens de boa vontade" será mudado para "paz na Terra aos homens amados por Deus".

Mudança

Essas mudanças foram propostas pelo cardeal Gualtiero Bassetti, que é o presidente da Conferência Episcopal da Itália. E quem as aprovou foi o maior líder da igreja, o Papa Francisco, no dia 22 de maio de 2019. Ele fez essa alteração, durante a 72ª Assembleia Geral dos bispos italianos.

"Deus não nos dá tentações. O papa Francisco recorda que a oração começa com pai e um pai não arma ciladas para seus filhos", explica dom Edmar Peron, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Publicidade
continue a leitura

"Nosso Deus é um Deus de misericórdia. Ele está sempre conosco e nos estende a mão sempre que precisamos", continuou.

Em outubro de 2017, o papa Francisco tinha se pronunciado a respeito da nova versão do Pai Nosso. Em uma entrevista, o pontífice disse que "não nos induzais à tentação" não era uma boa tradução.

No Pai Nosso em português há anos ele é rezado como "não nos deixeis cair em tentação" e já é bem similar ao sentido do que a nova tradução italiana quer dar ao trecho.

"Sou eu quem cai em tentação. Não é Deus que me joga nela", explicou o Papa.

Outras mudanças

Publicidade
continue a leitura

Essa não é a primeira vez, que a congregação episcopal propõe uma alteração no Missal do seu país. Em 2017, a conferência dos bispos da França fez um ajuste, no mesmo trecho do Pai Nosso.

No primeiro domingo do Advento de 2017, a frase "não nos submeteis à tentação" teve uma nova tradução e ficou "não nos deixeis cair em tentação", que é a mesma usada na versão brasileira.

Os bispos da Congregação Episcopal de Portugal quiseram tratar Deus como "tu" ao invés de "vós". Essa nova versão, que é coordenada por  dom Anacleto Oliveira, bispo de Viana do Castelo, demorou sete anos para ser concluída. E para isso, teve uma equipe formada por 34 especialistas.

"No Brasil, achamos mais conveniente tratar Deus como Vós. Já outros países, como Itália, França e Espanha, usa-se o Tu. É uma questão de adaptação ao uso de cada país", explicou o padre José Raimundo Vidigal, responsável pela tradução da Bíblia Sagrada, da Editora Santuário.

Todas as conferências episcopais tem a liberdade para propor alterações nas traduções de seus missais. Mas, assim que traduzidos e aprovados, esses textos têm que ser enviados para Roma.

Publicado em: 07/02/20 17h17