As mudanças climáticas são causadas por conta das alterações que ocorrem no clima do planeta Terra, de uma forma geral. Elas podem ocorrer por conta do aumento ou diminuição de temperaturas, umidade relativa do ar, nebulosidade e até mesmo por conta do índice de chuva. E muitas vezes, as mudanças climáticas acontecem por conta da ação humana ou então pela ação de fenômenos naturais.

Nosso planeta já tem seu longo período de existência e já passou por várias mudanças. Umas delas, que os pesquisadores consideram uma das mais drásticas, é a mudança climática. Isso vem afetando o mundo de várias maneiras diferentes, e talvez, caminhe para um ponto, onde se torne cada vez mais difícil a nossa existência.

Cientistas fazem relatos há muito tempo sobre como serão, provavelmente, os rumos que as mudanças climáticas tomarão. E até agora, todos os cálculos foram certos. O que, infelizmente, não nos dá um futuro muito promissor.

Mas talvez, não tenha sido nossa moderna civilização a primeira a fazer previsões, para o que iria acontecer com relação ao clima do nosso planeta.

Um enorme monumento de pedra, do século IX, na Suécia, pode ter sido feito pelos vikings. E eles fizeram isso porque temiam a repetição de uma crise climática fria. Basicamente, o que tinha acontecido, há mais de 300 anos, daquela época.

Publicidade
continue a leitura

Pedra

Essa pedra rúnica é uma laje de granito de cinco toneladas, com uma altura de mais de dois metros e meio. Nela, existem 28 linhas que são as inscrições mais antigas feitas em pedra. As mensagens deixadas nela lembram enigmas que apontam para a mitologia nórdica, em suas laterais.

Por mais que sejam antigos, as mais de 700 runas e outras inscrições ainda são bem legíveis. Com exceção de uma linha que está danificada. Mas, por mais que os estudiosos, geralmente, concordem em como ler antigas inscrições, a mensagem passada por essas antigas inscrições ainda não é sabida com total certeza.

De acordo com um estudo feito por acadêmicos de universidades suecas de várias áreas do conhecimento, a inscrição diz respeito a ansiedade pela morte de um filho e o temor de acontecer uma nova crise climática fria.

Esse estudo se baseou nas pesquisas arqueológicas sobre uma catástrofe de clima frio dos anos 536 a 550, na Escandinávia. Essa crise aconteceu depois de vários eventos vulcânicos que levou a temperaturas médias mais baixas. E com ela, vieram as falhas nas safras, fome e uma extinção em massa.

Clima

Acredita-se que, com essa mudança climática, a população da Península Escandinávia tenha tido uma baixa de 50% ou mais.

Publicidade
continue a leitura

"A chave para desbloquear a inscrição era a abordagem interdisciplinar. Sem essas colaborações entre análise textual, arqueologia, história das religiões e runologia, seria impossível resolver os enigmas da pedra rúnica de Rok", disse Per Holmberg, professor de sueco na Universidade de Gotemburgo, que liderou o estudo.

Quando a região conseguiu se recuperar socioeconomicamente foi quando o monumento foi feito. Mas os relatos sobre a mudança climática grave deve ter passado por gerações e não foi esquecida. Além disso, os estudiosos também consideram três outros eventos extraordinários.

"Antes de a pedra rúnica ser montada, vários eventos ocorreram que devem ter parecido extremamente ameaçadores. Uma poderosa tempestade solar coloriu o céu em tons dramáticos de vermelho. Os rendimentos das colheitas sofreram um verão extremamente frio. E, mais tarde, um eclipse solar ocorreu logo após o nascer do sol", disse Bo Graslund, professor de arqueologia da Universidade de Uppsala.

"Mesmo um desses eventos seria suficiente para despertar o medo de outro 'Fimbulwinter', disse ele, referindo-se a 'O Grande Inverno'. Que na mitologia nórdica, que marcaria a chegada de Ragnarok, uma série de eventos que levar ao fim da civilização", concluiu.

Publicado em: 05/02/20 18h23